Envie uma mensagem

A Mata Atlântica e seus ecossistemas associados cobriam, à época do descobrimento, 1.360.000 Km2. Atualmente, apenas 8% da área do bioma preserva suas características bióticas originais. No RS, a cobertura original da Mata Atlântica representava 46,87% da área do Estado, restando 4,92%, segundo monitoramento do S.O.S Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais- INPE (Período 1990-1995).
Diante do estado atual de degradação do bioma Mata Atlântica, o Ministério do Meio Ambiente desenvolveu o subprojeto denominado “Avaliação e Ações Prioritárias para a Conservação da Biodiversidade nos Biomas Floresta Atlântica e Campos Sulinos”, no âmbito do Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira – PROBIO.
Este subprojeto teve por objetivo a avaliação da biodiversidade e dos condicionantes socioeconômicos para sua utilização, identificando áreas prioritárias e estratégias para a conservação desses dois biomas.
Para a definição das prioridades foi realizado um workshop, em agosto de 1999, na cidade de Atibaia/SP. O evento reuniu 198 especialistas de todo o País e resultou na identificação de 182 áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade e na proposição de estratégias de conservação.
Das 182 áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica e Campos Sulinos, 99 foram classificadas como áreas de extrema importância biológica, 35 áreas de muito alta importância, 26 áreas de alta importância e 22 áreas insuficientemente conhecidas, mas de provável importância biológica.
Na região sul, os resultados valorizaram a Serra do Mar e a Serra Geral, com ocorrência de espécies endêmicas, grande riqueza biótica e uma rede importante de unidades de conservação, com potencial para a implementação de corredores de biodiversidade, incluindo os Parques Nacionais dos Aparados da Serra e da Serra Geral, localizados no RS.
Nos campos sulinos foram ressaltadas duas áreas de máxima prioridade: a Campanha gaúcha e a Planície costeira. A primeira caracteriza-se pela grande diversidade de habitats, flora peculiar e elementos faunísticos provenientes do Uruguai e da Argentina.
A Planície costeira representa uma extensa área de vegetação de restinga, com a ocorrência de banhados salinos no estuário da laguna dos Patos, considerados ambientes únicos no Brasil.
As áreas prioritárias indicadas para a conservação da biodiversidade no RS, foram:

Áreas prioritárias – Mamíferos
  1. Parque Estadual do Turvo
  2. Alto Uruguai
  3. Estação Ecológica de Aracuri
  4. Campos do Planalto
  5. Aparados da Serra/Canela/São Francisco de Paula
  6. Depressão Central
  7. Coxilha das Lombas

Áreas prioritárias – Aves

  1. Parque Estadual do Turvo
  2. Parque Estadual de Nonoai
  3. Planalto das Araucárias
  4. Campos de São Borja
  5. Maciço Florestal de Aparados da Serra
  6. Mata do Faxinal e Remanescentes Adjacentes de Floresta Costeira
  7. Escarpa Meridional da Serra Geral
  8. Parque do Espinilho
  9. Vale do Camaquã
  10. Lagoa do Peixe e Áreas úmidas adjacentes
  11. Campos de Bagé e Candiota
  12. Banhados e Marismas entre a Lagoa Mangueira e o Estuário da Laguna dos Patos

Áreas prioritárias – Peixes

  1. Cabeceiras do rio Uruguai (Bacias dos rios Pelotas e Canoas- RS/SC)
  2. Alto rio das Antas
  3. Cabeceiras do Mampituba
  4. Cabeceiras dos afluentes da margem direita do rio Ibicuí
  5. Bacia do rio Maquine
  6. Alto rio Quaraí

Áreas prioritárias –Répteis e Anfíbios

  1. Região do Parque Estadual do Turvo
  2. Parque Florestal de Nonoai
  3. Parque do Espigão Alto
  4. Encosta e Canions da Serra Geral (RS/SC)
  5. Planalto Central do  RS
  6. Parque Estadual do Ibirapuitã
  7. Planície Costeira (RS/SC)
  8. Serra do Sudeste
  9. Litoral Interno das Lagunas dos Patos
  10. Banhados do Taim

Áreas prioritárias – Invertebrados

  1. Parque do Turvo
  2. Cambará/Vacaria/Aparados da Serra/São José dos Ausentes
  3. Santa Maria/Mata/São Vicente do Sul/São Pedro do Sul
  4. Barra do Quaraí
  5. Restinga e encosta dos Aparados da Serra
  6. Banhado do Forte de Santa Tecla
  7. Feixe Litorâneo Lagoas dos Patos e Mangueira

Áreas prioritárias – Flora

  1. Região de Nonoai
  2. Aparados da Serra/rio Pelotas/Vale do rio das Antas
  3. Campos e Matas da Região Central
  4. Campanha Oeste
  5. Rio Camaquã

Fonte: BRASIL. Ministério do Meio Ambiente/SBF. Avaliação e ações prioritárias para a conservação da biodiversidade da Mata Atlântica e Campos Sulinos. Brasília, 2000.


  Mapa das áreas prioritárias para conservação da biodiversidade no RS


 

| Voltar |

 









Desenvolvido por PROCERGS