Envie uma mensagem


 Programa Mata Atlântica


Em 1990, foi criado, na FEPAM, o Programa Mata Atlântica, tendo por objetivo geral criar e implantar a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) no RS, priorizando a conservação da biodiversidade, o desenvolvimento sustentável e o conhecimento tradicional e científico.

Entre as ações prioritárias já desenvolvidas pelo Programa, destaca-se a efetivação do tombamento da Mata Atlântica, em nível estadual, e a criação da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, reconhecida pelo Programa MaB da UNESCO em 04 de junho de 1994.

Foram selecionadas três áreas-piloto no Estado do RS para a implantação de projetos de desenvolvimento sustentável, adequados ao modelo conceitual das Reservas da Biosfera do Programa MaB da UNESCO: o Litoral Norte, a Quarta Colônia e o Entorno da Lagoa do Peixe.

A FEPAM captou recursos através de projetos-piloto:

• Difusão da RBMA nas Áreas-Piloto: R$ 16.000,00 da UNESCO, produção de folhetos, calendários, texto do Caderno da Reserva da Biosfera no RS, impressão de mapa georreferenciado da RBMA e realização de eventos para divulgação do material nas áreas-piloto.

• Projetos do Programa de Execução Descentralizada/MMA: foi priorizada a área da Mata Atlântica no Estado. O Comitê Estadual integrou a Comissão Executiva, além de várias instituições que também fazem parte desse Comitê (DEFAP, EMATER, FEPAM, IPHAE). As três áreas-piloto foram contempladas com projetos para atividades de implantação da Reserva da Biosfera, além de outras três áreas inseridas na poligonal da RBMA.

As linhas de ação dos projetos foram: a) proteção dos remanescentes da Mata Atlântica (proteger comunidades biológicas representativas da Mata Atlântica, visando preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético contido nessa região); b) recomposição de áreas degradadas (em especial aquelas situadas no entorno de núcleos de florestas primárias e integrantes de corredores naturais de vegetação para proporcionar a dispersão da flora e fauna, bem como a recuperação desse bioma); c) agricultura ecológica (estimular a agroindústria local e a agricultura ecológica, substituindo o uso de agro-químicos); d) manejo florestal (incentivar a produção de mudas de espécies da Mata Atlântica, visando o adensamento ou enriquecimento da vegetação secundária e seu uso sustentado); e) turismo ecológico (resgatar atividades tradicionais locais e valorizar os recursos naturais da região); e) educação ambiental (conscientizar as comunidades locais para o desenvolvimento sustentável e a conservação da Mata Atlântica, assim como consolidar as ações propostas nos projetos).

• Projeto Águas e Florestas na Mata Atlântica do RS: R$ 8.750,00 para a realização de workshop, elaboração do projeto e implantação de atividades de educação ambiental. Sua continuidade está em negociação, com recursos do MMA e da Agência Nacional de Águas (ANA). A coordenação regional é do Comitê Estadual da RBMA, e a coordenação executiva é conjunta entre esse Comitê e o Comitê de Gerenciamento da Bacia do Rio Tramandaí.



     

 

| voltar |

 









Desenvolvido por PROCERGS