Envie uma mensagem


 Programa de Áreas Importantes para as Aves (IBAS - Important Bird Areas)


Coordenação e execução – BirdLife International

A BirdLife International é uma aliança de organizações conservacionistas não-governamentais com representação em mais de 100 países, que atua na conservação das aves e de seus habitats em todas as partes do mundo através do desenvolvimento de estratégias de uso sustentável dos recursos naturais. O programa de IBAs (do inglês Important Bird Areas) da BirdLife International é uma iniciativa global que visa identificar e proteger uma rede de áreas críticas para a conservação das aves e de seus habitats em todo o planeta.

As IBAs são áreas definidas que (1) abrigam espécies de aves globalmente ameaçadas de extinção, (2) concentram uma parcela significativa das espécies de distribuição geográfica restrita, (3) contêm um subconjunto representativo da avifauna endêmica de um bioma ou região zoogeográfica ou (4) servem como pontos de concentração para aves migratórias. Essas áreas são identificadas através de critérios objetivos e unificados, o que significa que as IBAs reconhecidas em diferentes regiões do mundo são equivalentes ou comparáveis entre si.

O programa brasileiro de IBAs, em sua primeira fase, enfocou a região da Mata Atlântica, tendo sido identificadas IBAs em 15 estados da Federação (do Piauí ao Rio Grande do Sul, incluindo Minas Gerais). Os resultados dessa primeira etapa do programa foram publicados no diretório  “Áreas Importantes para a Conservação das Aves no Brasil. Parte I – Estados do Domínio da Mata Atlântica”, lançado em março de 2006. O diretório destina-se a servir como ferramenta a órgãos públicos, organizações privadas e organizações não-governamentais, auxiliando na seleção de áreas de importância global, destinadas à criação de unidades de conservação ou ao desenvolvimento de programas conservacionistas em toda a região da Mata Atlântica.

IBAs no Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul são reconhecidas 14 IBAs, sendo duas delas compartilhadas com Santa Catarina. São elas: RS/SC01–Campos do Planalto das Araucárias, RS02–Banhado São Donato, RS03–Campos de Cima da Serra, RS/SC02–Região dos Aparados da Serra, RS04–Banhado dos Pachecos, RS05–Médio Rio Camaquã, RS06–Parque Nacional da Lagoa do Peixe, RS07–Campos da Região de Bagé, RS08–Região de Pinheiro Machado, RS09–Estuário da Laguna dos Patos, RS10–Várzea do Canal São Gonçalo, RS11–Banhado do Maçarico e Cordões Litorâneos Adjacentes e RS12–Banhado do Taim. Juntas, essas áreas somam uma área aproximada de 1,5 milhões de hectares, distribuídas nos biomas Pampa (8 áreas), Mata Atlântica (4 áreas) e Zonas Costeira e Marinha (2 áreas). Seis dessas áreas não recebem qualquer tipo de proteção, 5 são parcialmente protegidas e apenas 3 estão totalmente inseridas em unidades de conservação.

A BirdLife está pleiteando recurso junto ao BIRD/GEF, para executar atividades no bioma pampa, em áreas contíguas às do Projeto RS Biodiversidade (Áreas 4 - Campos da Campanha e 5 - Escudo Sul-rio-grandense), tendo em vista a existência identificada de IBAS na região. A proposta preliminarmente prevista para ser desenvolvida visa a desenvolver atividades de manejo ambientalmente correto de campos nativos.



     

 

| voltar |

 









Desenvolvido por PROCERGS