Envie uma mensagem

 

Sistema de Informações Geográficas da Biodiversidade (SIGBIO):

08/04/2016

O Projeto RS Biodiversidade apresenta mais um de seus resultados, o Sistema de Informações Geográficas da Biodiversidade (SIGBIO), um banco de dados que contempla informação georreferenciada de ocorrência de espécies, além de um conjunto de outros dados relacionados ao meio ambiente e indicadores de monitoramento da biodiversidade para o Estado do Rio Grande do Sul. O Sistema foi idealizado e projetado pelos técnicos da SEMA, FZB e FEPAM e implementado pela empresa Geoambiente Sensoriamento Remoto Ltda, contratada pelo Projeto, com acompanhamento técnico do Eng. Cláudio Ruschel e do Comitê Executivo do SIGBIO. Um sistema de informação geográfica constitui-se numa das principais ferramentas para o planejamento e gerenciamento das ações voltadas à conservação da biodiversidade.

O SIGBIO terá seus dados atualizados sistematicamente e seu acesso será disponibilizado para o público em geral via web, e com conteúdo adicional para os colaboradores da SEMA, FZB e FEPAM. As fontes permanentes de informação sobre a ocorrência de espécies no Rio Grande do Sul são o acervo do Museu de Ciências Naturais (MCN) e as coleções vivas do Jardim Botânico (JB), ambos mantidos pela Fundação Zoobotânica (FZB). No escopo do Projeto SIGBIO foi desenvolvido um sistema específico para gestão das coleções da FZB, com carga de dados inicial com mais de 200 mil registros. Portanto, os registros de diversas coleções científicas que são considerados públicos e que possuem informação da localização geográfica poderão ser consultados pelo público em geral através do SIGBIO. Também estarão disponíveis para consulta dados de espécies exóticas invasoras (proveniente da base de dados do Instituto Hórus), espécies ameaçadas (proveniente da base do Sistema LIVE, mantido pela FZB) e de um novo cadastro de registro de ocorrências de espécies, que inicialmente será mantido pela FZB.

O SIGBIO também agrega informação sobre biodiversidade ao banco de dados geográfico da FEPAM. Dessa forma, torna-se o primeiro banco de dados geográfico sobre biodiversidade a incluir dados ambientais de todo o Estado do RS. O Sistema encontra-se em fase final de testes e estará disponível para acesso ao público, via web, entre abril e maio de 2016.






     

 

| voltar |










Desenvolvido por PROCERGS