Envie uma mensagem

 

GOVERNO DO ESTADO CRIA NOVA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO: BANHADO DO MAÇARICO, EM RIO GRANDE:

12/12/2014

O Governo do Estado formalizou nesta quarta-feira (11) a criação da Reserva Biológica Estadual Banhado do Maçarico, com 6.253 hectares, no município de Rio Grande (RS). Dessa forma, o Rio Grande do Sul passa a contar com 23 Unidades de Conservação (UCs). O Estado não criava uma UC desde 2005, quando da instituição do Parque Estadual Quarta Colônia.

“Trata-se de uma grande conquista para o Estado, pois essa reserva – cujo caráter de proteção é integral – foi viabilizada a partir dos estudos de pesquisadores de reconhecimento internacional, que detém o melhor conhecimento a respeito dessa região”, ressalta o titular da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Neio Lúcio Fraga Pereira.

O projeto para a criação da reserva foi coordenado pelo diretor geral da Sema, o biólogo Luís Fernando Perelló, ao lado dos seguintes pesquisadores: Eduardo Vélez (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Ufrgs); Giovanni Maurício (Universidade Federal de Pelotas – UFPel); Glayson Bencke (Fundação Zoobotânica – FZB); e Henrique Ilha (Estação Ecológica do Taim - Esec Taim, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio).

Os mapas da UC (limites e localização) podem ser vistos nos anexos abaixo. Os limites e raio de 10 km da nova unidade de conservação também estão disponíveis em kml.

Contribuição para o planeta 
Segundo Perelló, a área onde se localiza a nova reserva abriga um dos conjuntos de ecossistemas da planície costeira mais importantes para a conservação da biodiversidade no Rio Grande do Sul. “Tratam-se de banhados, cordões litorâneos, campos arenosos, dunas, turfeiras e fragmentos de matas de restinga, tudo ainda muito íntegro”, ressalta.

Por conta disso, explica Perelló, essa região foi indicada como uma das Áreas Importantes para a Conservação das Aves da BirdLife Internacional (Important Bird Areas-IBA). “Portanto, emprestará destacada contribuição à manutenção de ecossistemas e espécies de interesse de todo o planeta”, diz o diretor geral da Sema.

Aves, recursos hídricos e lógica sócio-econômica 
Perelló lembra ainda que, conforme o decreto que institui a UC (publicado hoje no Diário Oficial), a reserva conta com os seguintes objetivos: preservar a dinâmica hídrica das áreas de nascentes que alimentam o sistema hidrológico do Taim sul e as drenagens naturais associadas ao estuário da laguna dos patos; preservar amostras das fisionomias palustres do banhado do maçarico e seus ecossistemas associados; preservar uma área de reconhecida importância internacional para a conservação das aves; e garantir a integridade de habitats para manter populações de espécies ameaçadas de extinção.

A reserva permite ainda preservar áreas que são insubstituíveis para uma população isolada do pássaro macuquinho-da-várzea (Scytalopus iraiensis). Também é uma região importante para a reprodução do pássaro migratório caboclinho-de-papo-branco (Sporophila palustris). A região abriga ainda grande parte das populações locais das aves gavião-cinza (Circus cinereus), noivinha-de-rabo-preto (Xolmis dominicana) e caminheiro-grande (Anthus nattereri).

Outro ponto a ser frisado é o fato de que a área definida para a reserva evitou incluir as sedes das propriedades, mas adicionou áreas de banhados que são áreas indesejadas para muitos proprietários locais que relatam sistematicamente a perda de animais nestes ambientes. “Dessa forma, a reserva representa ainda uma iniciativa com impactos positivos no meio sócio-econômico da comunidade local”, conclui Perelló.

A nova UC já tem garantidos recursos para seu Plano de Manejo e levantamento fundiário. A administração e o gerenciamento da Reserva Biológica Estadual Banhado do Maçarico ficará a cargo da Sema. 

Bioma: Pampa (Zona Costeira) 
Área: 6.253 hectares





Fonte: SEMA




     

 

| voltar |










Desenvolvido por PROCERGS